Asas De Enfeite

Tudo o que eu queria
era caminhar
mas, a vida deu asas
pra quem não sabe voar.

Mãe, pai,
me levem para longe daqui,
pois, minha mente está
cheia de munição
e vou matando todos
aos poucos nessa
minha missão.

Eu olho pro sol,
olho pro espelho…
Machucada, adivinha
entre o ar e a aparência
quem vem primeiro?

Estou empacotada
em plástico,
isso disfarça
minhas distorções e
me traz um mundo
insanamente fantástico.

Mãe, pai,
me levem para longe daqui…
Ninguém ao meu lado
eu quero ferir,
pois, não sei mais
o que é mentira
e o que é real,
nada se esclarece,
meu medo surreal.

Não importa o quanto que eu
fique fraca,
eu desconto em meus complexos
e então tudo melhora
enquanto eu estiver magra
e magra.

O que eu quero é semelhante;
estrelas, romance, diamantes.
Todos brilham, posso observá-los
de longe, porém sempre
tudo fora de meu alcance.

Me tirem daqui,
tudo o que eu toco
está fadado a se destruir.

Eu sinto cada detalhe
da vida demais,
eu pucho pra mim mais
do que sou capaz.
E tudo o que eu queria
era caminhar
mas, a vida deu asas
pra quem não sabe voar.

I still love the book-ness of books, the smell of books: I am a book fetishist—books to me are the coolest and sexiest and most wonderful things there are.
― Neil Gaiman (Locus, February 2005)

(Source: cinderellainrubbershoes)